Rita, São Tomé 🇸🇹

São Tomé… São Tomé sempre foi um destino que pretendia visitar e desde cedo que idealizei fazer voluntariado neste país. A minha inscrição foi inesperada e repentina. Num momento era apenas um sonho longe e difícil de ser alcançado, no momento seguinte estava a tornar-se real. Foram dois meses, dois meses muito intensos, com as condições a que não estamos habituados, muito calor e um desgaste físico e psicológico muito grande. No início não sabia se conseguiria aguentar, mas rapidamente mudei de ideias. Rapidamente percebi que nada disto importava quando olhava para aquelas crianças e percebia que tudo valia a pena. A minha experiência foi na fundação Novo Futuro onde, neste momento, vivem 14 crianças entre os 7 e os 17 anos. Além destas crianças e jovens, 5 crianças externas passam grande parte do dia na mesma.

De manhã estão apenas os dois mais velhos e as duas mais novas. É o momento de tirar dúvidas nos trabalhos de casa e ajudar no que é preciso.

Da parte da tarde, chegam os restantes e para além dos trabalhos de casa, ajudávamos no que fosse necessário, fazíamos atividades e aprendíamos muito uns com os outros. Os fins de semana, eram passados a fazer traquinices, a desenvolver atividades e a brincar. Os domingos (que saudades destes domingos) eram dia de praia, com chuva ou com sol, pois o sítio assim permite e porque é uma das coisas que mais gostam.

Foram dois meses que nunca serão esquecidos. Aprendi a ser melhor, a tentar fazer melhor e não esperar nada em troca, aprendi que somos uns privilegiados e que os nossos valores e prioridades andam um bocadinho trocados, aprendi que as coisas simples e inesperadas são as melhores e que ter planos é o pior dos planos. Aprendi que a vida vale muito a pena e que há tanto para aprender com aquelas crianças. Fiz amigos incríveis e conheci pessoas que merecem o melhor do mundo. Tenho saudades todos os dias, todos sem exceção. Saudades de acordar com a música alta, de ser “trançada”, de ouvir aquelas gargalhadas, dos abraços apertados, saudades da beleza daquele sítio e simplicidade daquelas pessoas.

A quem está com um pequeno bichinho para fazer voluntariado, aconselho a arriscar. Foi a melhor experiência que vivi e vale a pena, vale tanto a pena…