Marlene, Guiné-Bissau 🇬🇼

Participar num projeto de voluntariado em África estava no topo da lista dos meus sonhos. Mas por circunstâncias da vida, ainda não tinha sido realizado. 2021 estava a começar e com ele começavam as dúvidas sobre qual seria o meu presente de aniversário para este ano. 

VOLUNTARIADO NA GUINÉ BISSAU? Sim. Sim. Sim. E neste sim, estava eu longe de saber ou sequer imaginar que estava quase a me oferecer o presente mais bonito da minha vida. 

Contactei a “Para onde?” e em Outubro saí com as malas feitas em direção a Bissau. 

Bissau. A cidade que me “fez sentir tudo de todas as maneiras”. Onde tudo foi tão difícil, mas onde tudo foi tão fácil também. 

Nos primeiros dias tinha o meu olhar focado em todas as direções, em toda a informação que vinha da janela deste mundo tão diferente do meu. Desde a terra laranja forte, aos panos de pente tão coloridos, aos toca-toca azuis e amarelos, ao “N´sta drito”, à atmosfera de alegria, aos sorrisos tão genuínos, tão simples e tão bonitos num mundo onde, aparentemente, parecia faltar tudo. Num mundo onde aprendi a saber viver com menos, e o quanto “saber viver com menos” é tão importante.

Rostos, Culturas, estados de alma… confundiram os meus sentidos desde o primeiro dia. Os dias bons e os dias maus culminaram numa incerteza entre: o “quero viver aqui mais meses” e o “sinto falta do meu conforto”. 

Saí de Portugal com a ideia de podia ir lá ensinar e deixar alguma coisa, mas fui só aprender muito e receber muito. Queria muito conseguir retribuir o tanto que aprendi e recebi.

Sou muito agradecida por todas as oportunidades que a vida já me deu e muito agradecida a todos que a vida colocou no meu caminho. Muito agradecida à “Para onde?”

Agradecida por poder ter estado nos lugares que tive  e o contraste com o modo de vida que tenho. 

Neste intenso mês de Outubro, intensifiquei o meu poder de encaixe num mundo tão diferente do meu mundo; intensifiquei o meu conhecimento profundo e o controle sobre a minha carapaça emocional. 

E toda a abundância de amor, carinho, doçura e sorrisos que recebi alimentaram abundantemente os sentimentos que tento que guiem sempre a minha vida e quem eu sou: bondade, compaixão e empatia. 

Obrigada “Para onde?”.

Obrigada Guiné- Bissau. 

Obrigada família e amigos. 

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.