Andreia, Santo Antão 🇨🇻

Até ao último momento, a incerteza de poder viajar era o mais real que existia. O que viajava comigo era demasiado pesado para suportar sozinha e noutro país, mas o dia chegou e a felicidade de realizar mais uma vez este sonho era possível.

Santo Antão foste o lugar que necessitava, fosse a minha recuperação. Ensinaste-me a olhar para dentro e a amar-me. Aqui mora o “fca dret”, o bom dia, o sorriso leve, o olhar doce e os maiores corações que já vi. O tempo passa rápido e o calor é intenso. Não há falta de manga (que se como com casca), grogue, mel de cana, cachupa, alegria, amor e sorrisos rasgados. Ensina-nos a amar as pequenas coisas, que a simplicidade existe em qualquer lugar, a amar a sabedoria e as palavras sábias dos idosos e a pureza e ingenuidade das crianças.

Foi aqui que me esqueci do que me perseguia, a minha ansiedade e de tudo o que os últimos meses foram. Aproveitei cada dia como se fosse o último, os abraços e carinho que todas aquelas crianças e idosos me proporcionaram e os momentos inesquecíveis que levo comigo.

Obrigada às paisagens mais verdes e bonitas de Cabo Verde, obrigada por fazeres parte da minha história e por me tornares mais forte e sair de coração completo.
“Vida ê p vivê durent vida”
Regressei com a promessa da um até já, com Soded.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *