A Experiência do Rui na Guiné-Bissau

O capítulo universidade estava prestes a terminar quando me inscrevi para fazer voluntariado na Guiné-Bissau. Candidatei-me cheio de vontade de tentar ajudar a tornar o Mundo num lugar melhor, mas à medida que se aproximava o dia da minha partida, o meu medo era cada vez maior. Sair da nossa zona de conforto nem sempre é fácil mas ainda bem que o fiz porque foi a melhor experiência da minha vida. Fazer voluntariado internacional na Guiné-Bissau foi fantástico por 2 motivos principais: o primeiro é porque bebi muita Fanta com o professor Humberto (coordenador do projeto) e o segundo porque estive rodeado por pessoas espetaculares e de bom coração todos os dias.
Na Guiné-Bissau fui recebido de braços abertos pelas crianças e professores da escola, e por todos os vizinhos do nosso bairro. Todos os dias conheci pessoas novas incríveis e colecionei histórias que não acabam mais. Rapidamente me senti em casa. Todos os dias, durante a manhã, acompanhei a turma do 2º ano e ajudei a professora Mariama nas aulas de matemática, português e ciências naturais. Durante a tarde, por vezes dei aulas aos alunos mais velhos e por vezes perdi-me em brincadeiras sem fim com as crianças da escola e da comunidade. Um dia por semana, organizamos palestras para toda a comunidade e até fomos convidados para ir falar numa das principais rádios de Bissau. Tínhamos sempre a agenda preenchida. Com o entusiasmo, acordava todos os dias antes do despertador tocar e estava sempre cheio de energia. Os dias na Guiné passaram todos muito rápido e dormir era perda de tempo. Eu gostava era de estar na rua a conversar com vizinhos ou a brincar e a rir às gargalhadas com crianças. Joguei futebol, saltei à corda, cantei e dancei. Pintei-me de preto e fiz rir. Fiz tanta coisa que é impossível falar de tudo. Todos os dias foram diferentes, únicos e especiais. Todos os dias foram repletos de sorrisos e de momentos felizes.


Trago recordações para o resto da minha vida e a certeza de que quero voltar. Fazer voluntariado internacional na Guiné-Bissau marcou a minha vida para sempre. Na Guiné-Bissau as pequenas coisas são motivo de felicidade e é muito bom viver assim. As pessoas na Guiné-Bissau têm amor que não acaba mais. As pessoas na Guiné-Bissau aprenderam a viver com o pouco que têm e são felizes. Na Guiné-Bissau come-se aquilo que a terra dá e não se passa fome. O clima e o terreno são propícios para uma boa agricultura e não falta arroz, milho, caju, amendoins, frangos, bananas, etc… Eu tinha medo da alimentação que iria encontrar mas rapidamente percebi que não ia haver problema.
Hoje, olho para trás e tenho a certeza que escolhi o melhor projeto para fazer voluntariado internacional. Não tenho qualquer dúvida em relação a isto. As crianças da escola precisavam de nós. Os professores precisavam de nós. Os vizinhos precisavam de nós. O Bairro Plack 1 precisava de nós. Bissau precisava de nós. E eu também precisava deles. Durante o mês de Outubro de 2018 eu aprendi muito mais do que aquilo que eu imaginava.
Por fim, resta-me dizer a todas as pessoas que querem embarcar nesta aventura que não se vão arrepender. Vai valer a pena, e vai deixar saudades.