A experiência das Ritas em Tarragona, Espanha

Olá a todos! Nós somos as Ritas. Acabámos de regressar de Tarragona onde fizemos o nosso campo de voluntariado a ajudar num festival sobre a liberdade de expressão chamado “La iMAGInada”.

Passámos 12 dias incríveis que na realidade achamos um pouco impossível conseguir transpor para palavras tudo aquilo que sentimos e a saudade que Tarragona, as pessoas e estes dias vão deixar para sempre no nosso coração.

 

Ficámos alojados numa escola local, a cerca de 2 minutos da praia, onde dormíamos e cozinhávamos todos juntos. Fomos atacadas incansavelmente por mosquitos e outros insectos, mas até isso se tornou numa brincadeira, a contar quem é que tinha mais picadas. O nosso trabalho antes do festival consistiu em montar os cenários e ajudar na decoração. Durante o festival estávamos divididos por grupos com 4 tarefas diferentes, “Barra grande” (bar grande), “Barra petita” (bar pequeno), catering ou “Petita iMAGInada” (actividades com crianças), e íamos alternando. No final e com uma lágrima no canto do olho, tivemos de desmontar tudo e deixar o local como antes. Mas estes 12 dias foram muito mais do que tudo isto, foram muitas gargalhadas, roupas pintadas com spray, idas à praia, sorrisos das crianças e dos adultos a divertirem-se no festival, deixarmo-nos envolver pela energia que se sente no Camp de Mart que tanto nos faz vibrar como nos transmite uma calma indescritível, comer pizza e beber cerveja sentados em escada na “calle” no centro de Tarragona, provar todos os sabores dos gelados existentes na melhor gelataria, assistir às festas de Sant Magi, vibrar com os Castelleres a serem construídos a 5 metros de distância, visitar os vários monumentos romanos da cidade, fazer novos amigos, partilhar experiências, criar muitas e boas novas memórias.

O nosso grupo de voluntários internacionais foi como uma família, apesar de termos mais afinidades com uma ou outra pessoa, como é normal, trabalhamos sempre todos juntos para o mesmo objectivo comum. É espantoso como, apesar da variedade de nacionalidades, línguas, culturas e idades, ali, naquele momento tudo se esbate e todas as nossas forças confluem na mesma direcção, deixando para trás preconceitos e diferenças. Toda a organização do festival é composta por voluntários cheios de garra e ideias fantásticas. Talvez por sermos portuguesas, tivemos uma grande afinidade com o pessoal da organização, o que nos permitiu conhecer ainda melhor a cultura catalã.

O mais difícil de tudo foi mesmo apanharmos o autocarro de volta para o aeroporto, acho que hesitamos umas poucas vezes! Porém, há uma certeza que as duas temos: em breve voltaremos a Tarragona, para o ano, se tudo nos permitir, lá estaremos para o festival e queremos repetir a experiência como voluntárias internacionais noutro sítio! E se alguém estiver a ler isto de forma a se convencer a ir, não pensem duas vezes. A parte mais fácil é essa, voltar será sempre a mais difícil!

As duas fizemos Erasmus e temos a sensação que esta experiência foi uma espécie de Erasmus em formato pequeno. Muito mais curto, mas também MUITO mais intenso! Foi a melhor loucura que fiz nos últimos tempos e bem-dita a hora em que enviamos a nossa carta de motivação!!! E por falar em dias intensos, pedimos emprestada uma frase do nosso grande Pessoa que explica mais ou menos o sentimento dos dias passados na “La iMAGINada”:
“O valor das coisas não está no tempo que elas duram, mas na intensidade com que acontecem. Por isso existem momentos inesquecíveis, coisas inexplicáveis e pessoas incomparáveis.”