A experiência da Rita em Moçambique

“Porque a felicidade só tem significado quando é partilhada”…

Recém-chegada a Portugal de uma das melhores e mais ricas experiências da minha vida e já cheia de saudades de tudo aquilo que vivi em Moçambique, deixo aqui um resumo da minha passagem por esse país mágico.

Não é por acaso que o projeto se chama Kutsaca. Na aldeia de Mahungo as pessoas vivem sem pressas e dizem “hei-de ir”, “hei-de fazer”. Quando dizes “Bom dia”, respondem-te com o melhor dos sorridos “Bom dia, Obrigado!”. As crianças brincam na rua e correm até ti em troca de um grande abraço. E na escola partilham tudo, são capazes de dividir a única bolacha que têm em 10 pedaçinhos para que todos os amigos provem. E os mais velhos, agradecem a nossa vinda ao seu país, dizendo “Estamos juntos” e face a qualquer obstáculo… “Não tem problema!”. Kutsaca significa “Estar Feliz” em changana, o dialecto local. Poderia ser em qualquer língua, pois aqui a felicidade é universal e aqui eu fui verdadeira e genuinamente feliz!

Na escolinha Kutsaca, juntamente com as voluntárias Mariana, Catarina e Diana, trabalhamos e auxiliamos as professoras locais – Júlia e Lolinha – com a sua turma de crianças dos 3 aos 5 anos. O principal objetivo é a promoção de habilidades pessoais e sociais destas crianças. A par deste grupo, foi recentemente construída uma nova escolinha que permitirá acompanhar as crianças dos 6 aos 9 anos, com atividades extracurriculares que apoiem o seu desenvolvimento.

Mesmo nos tempos mais livres, dada a sinergia, proatividade e bom trabalho de equipa que o nosso grupo de voluntárias criou, fizemos outros trabalhos em prol da escolinha e da comunidade. Desde criar o hino da escolinha, ajudar nas aulas de inglês da nossa voluntária Diana até às simples mas muito felizes tardes a pintar, dançar e cantar com as crianças que regularmente vinham ao nosso encontro.

Decidimos ainda dar continuidade ao programa Wasate (dedicado às mulheres da aldeia) e com a chegada da nossa médica e voluntária Carolina, pudemos também iniciar com a sensibilização de temas relacionados com a saúde e higiene. A par desta iniciativa, achámos importante fazer um exercício que permitisse promover a auto-estima destas mulheres e fazer com que tivessem um dia especialmente dedicado a elas – uma sessão fotográfica!

Resta-me agradecer ao Para Onde por me ter ajudado a concretizar um sonho desde há muito desejado; à Susana que fundou este magnifico projeto e às meninas que se voluntariaram comigo por tudo aquilo que vivemos nesta aldeia fantástica feita de pessoas maravilhosas!

Valeu totalmente a pena fazer parte deste projeto! Cheguei a Moçambique completamente sem expectativas e apenas de coração cheio. A partir daí foi uma aprendizagem incrível, onde sei que não mudei o mundo, mas espero ter contribuído para a mudança do mundo de alguém! O meu mudou de certeza, por isso kanimambo a todos!