A Experiência da Joana na Alemanha

Os voluntariados de curta duração são para todas as pessoas: Para quem gosta de ajudar, para quem acha que não tem tempo, para quem gosta de aventura, para quem gosta de conhecer pessoas e para quem gosta de aprender coisas novas. Inclusive para quem não gosta de viajar sozinho… mas gostaria de experimentar.
Sempre senti que este era um sonho complicado de realizar: Como fazer voluntariado no estrangeiro? Como ajudar sem recorrer a uma formação académica específica? Não sou médica, não tenho jeito para ser professora… O que posso fazer? A Associação Para Onde? ajudou-me a realizar esse sonho e apoiou-me durante toda a viagem desde da preparação para embarcar até ao regresso a casa.
A descrição indicava que eu ia ajudar a renovar um passadiço de madeira numa pousada da juventude numa aldeia alemã durante as 2 semanas (as poucas férias que podia tirar do trabalho em Portugal).  Quando cheguei ao workcamp em Baitz (perto de Berlim) conheci pessoas com a mesma vontade de ajudar que eu e que me fizeram sentir parte duma nova família.

O primeiro receio foi que o trabalho ocupasse o dia todo, mas na realidade trabalhámos todos os dias só até às 16h e foram as atividades extraordinárias que nos ocuparam o dia e a noite: visitámos 4 cidades na Alemanha, relaxámos no jardim, fizemos tours de bicicleta, caminhadas pela floresta, noites de cinema, barbecues e fogueiras.
Durante a manhã e início da tarde, com mais 7 voluntários, ajudei a construir o passadiço para as crianças brincarem no verão, mas durante o resto do dia construímos pontes entre 5 países que agora estão de porta aberta para nos receber. Aprendi muito sobre mim própria, mas também sobre outras culturas: alemã, mexicana, italiana, francesa e da indonésia. Sabia desde do início que o maior arrependimento ia ser não ter ficado mais tempo, por isso fiz os possíveis para estar presente em todos os momentos e conhecer todas as pessoas.
Se voltava a fazer? Espero que a próxima seja já para o ano.