A experiência do Guilherme em Zanzibar

No dia 8 de Junho, meti a mochila às costas e embarquei numa longa jornada até à ilha de Zanzibar, tendo a minha estadia durado cerca de 3 semanas. Durante este tempo, tinha como missão ajudar a preservar o ecossistema plantando mangais e ensinar inglês a crianças, tendo ainda havido tempo para limpar uma praia.

Assim que se sai do aeroporto, deparamo-nos com a maior qualidade desta ilha: a simpatia das pessoas. Fui recebido com um “Hakuna Matata, welcome to Zanzibar”. E toda esta amabilidade se prolongou por toda a minha estadia. Sem exceção, todas as pessoas com que interagi tiveram uma simpatia extrema, fazendo com que me sentisse em casa, mas o que mais me tocou no coração foi durante as minhas viagens de bicicleta haver imensas crianças a dizer-me “hello”. 

Um dos meus objetivos pessoais para esta aventura era apreender uma cultura completamente nova, e sem sombra de dúvidas este foi cumprido! Fui acolhido por uma família em sua casa e aí fiquei hospedado durante as 3 semanas, portanto tive contacto permanente com a cultura local 24/7. O primeiro choque que temos é na comida, especialmente para quem está habituado a comer carne, pois as refeições eram maioritariamente arroz com feijão, fruta e chá. No entanto, foi extremamente enriquecedor aprender mais sobre a religião muçulmana e poder conhecer os seus hábitos diários e conhecer a riquíssima história da ilha e todos os povos que influenciaram a sua cultura: árabe, inglês, francês, indiano e português.

Relativamente à minha missão enquanto voluntário, começando pela proteção do ecossistema, estou muito satisfeito com o trabalho desenvolvido e com os objetivos atingidos: foram plantados cerca de 200 mangais por dia!! Quanto às aulas de inglês, sinto que fiz o meu melhor ao desempenhar o papel de professor e transmitir conhecimentos às crianças sobre a língua inglesa. Nos dias que foram dedicados à limpeza da praia, foi extremamente reconfortante olhar para um sítio que outrora estava cheio de garrafas, latas, etc, e neste momento ser um areal limpo.

Foi uma aventura que me proporcionou novas experiências, conhecer uma nova realidade e uma nova cultura, mas principalmente, uma aventura que me fez crescer!

Quero agradecer ao Para Onde? que foi graças a eles que esta aventura se concretizou, à ZAYDO e a todos os amigos que fiz em Zanzibar pela forma que me trataram e me acolheram e aos meus amigos e família por todo o apoio e força que me deram!

Voltei de coração cheio!