A experiência da Cláudia na Ilha da Boavista, Cabo Verde

É tão difícil falar sobre algo que nos marcou tanto.

Quando decidi ir para a Boa Vista não sabia muito sobre o que ia encontrar, não fiz pesquisa, não queria ir com ideias predefinidas. Sabia apenas o que se ouve falar por aí. A verdade é que por muito que nos digam nada nos prepara para aquela realidade! O primeiro contacto é um choque, nada parece real. O Bairro da Boa Esperança ou “Barraca” parece um cenário de um filme. As condições ou falta de condições são assustadoras. No entanto depressa o choque é passado para segundo plano e completamente derrubado por sorrisos. Sorrisos tão genuínos! Apaixonei-me todos os dias pelos mesmos sorrisos. É um amor sem medida.

Foram 4 semanas, aprendi tanto. Aprendi a viver de maneira diferente. Aprendi que se não há é porque não faz falta. Aprendi que o Amor supera tudo. Aprendi que tudo é fácil. Mas sem dúvida que o mais difícil é a despedida.
Foram 4 semanas muito intensas, poderia escrever muito mais, mas nunca vou conseguir explicar o que se vive e se sente lá…

Fica a promessa de um regresso e a certeza que sou uma pessoa diferente.