André, Suíça 🇨🇭

Como primeira experiência de voluntariado internacional decidi participar num workcamp em Ticino na Suíça. Este campo suscitou um grande interesse em mim, por ser numa zona montanhosa, remota, e envolver trabalho ao ar livre.

O facto de ser um projeto que envolve a participação de voluntários de diversos pontos do mundo, levou a que a experiência também fosse bastante enriquecedora tanto na troca de aspectos culturais de cada voluntário, como na partilha de vivências e conhecimentos entre todos.

As atividades neste campo foram diversas e com elas sentimos mesmo que estamos a ajudar a comunidade local e a estabelecer novas competências num ambiente diferente. A quinta tem condições que hoje em dia consideramos bastante “básicas”, isto é, a eletricidade é escassa, não há rede móvel, a água chegou a faltar enquanto lá estivemos e tomar um duche é apenas possível com água a uma amena temperatura de 10ºC!  

Éramos no total 15 voluntários de 8 nacionalidades diferentes. No campo havia também alguns membros que passavam férias e ajudavam no trabalho, sendo também voluntários. As tarefas realizadas na quinta iam desde a obtenção de alimento para o gado (palha) à criação de muros de sustentação com rochas nas encostas que circundam a quinta. Estes muros iriam suportar tanques de 1300 litros, nos quais seria armazenada água. Estes tanques foram transportados pelos voluntários em terreno bastante inclinado, o que dificultou a tarefa. Felizmente terminámos a tempo e conseguimos colocar os 5 tanques no sítio pretendido.

Os voluntários foram divididos em 3 grupos de 5 elementos, que iam de forma rotativa ajudando a cozinheira, Béa, na preparação das refeições e na lavagem da loiça. Esta divisão permitiu que toda a gente trabalhasse nas diversas tarefas e também aumentou a eficiência. Achei bastante positiva a colocação dos voluntários que já se conheciam em grupos diferentes!

O trabalho era exigente, mas divertido, dado que o ambiente era sempre de brincadeira. A motivação dos voluntários era visível e ficou bem patente o avanço no curto espaço de tempo que lá estivemos. Chegámos mesmo a exceder as expectativas do presidente do Alpe Loasa no que toca ao trabalho feito.

Após o almoço, tinhamos um período de descanso em que os voluntários podiam optar por repousar, jogar jogos de tabuleiro ou cartas. Estas oportunidades foram excelentes para conviver. Também fizemos algumas caminhadas em redor da quinta, e chegámos a ir até ao Monte Bisbino onde comemos um gelado no restaurante aí presente. Outros voluntários optaram por ir até ao rio onde puderam nadar e apreciar a natureza.

No geral, gostei bastante de ter participado nesta iniciativa, e irei considerar participar novamente!