A experiência da Andreia na Hungria

O meu primeiro projecto de voluntariado foi na Hungria, numa vila com o nome Badacsonytomaj, durante 2 semanas. Esta pequena vila fez com que esta aventura começa-se logo mal aterrei sozinha em terrenos Húngaros. Tinha que apanhar 1 autocarro, 2 metros e 1 comboio para conseguir chegar lá e, como as pessoas na Hungria não falavam maioritariamente inglês mas sim húngaro ou alemão, apesar de darem o seu melhor não conseguiram ajudar significativamente esta rapariga desorientada, mas lá consegui! Pelo caminho encontrei mais 2 voluntárias do meu projecto e ao longo do dia o grupo foi-se reunindo, sendo que com um jantar às 18h (17h daqui, muito estranho!) trocamos as nossas expectativas e medos para o workcamp.

Durante as duas semanas levantávamo-nos às 6/6:30 da manhã para às 7h nos apresentarmos ao trabalho. Durante o caminho comíamos 2 fatias de pão com manteiga, linguiça e paprica, algo que também não era normal comer mal acordava! Realizamos diferentes tarefas como a pintura de uma cerca (foi difícil ver o fim mas acabamos em um dia e meio o que a organização esperava que demorássemos 5 dias!), limpeza da praias, limpeza de caminhos junto à estação de comboios e pintura de estruturas da praia. Acabamos por só trabalhar 2 horas por dia sendo que no restante tempo da manhã iamos para o jardim de infância brincar com as crianças. Foi aqui que eu conheci a Kata, uma menina que realmente me tocou o coração e que me fez chorar muito no último dia. Os abraços, as corridas, os sorrisos, os beijos apertados e os gritos de “Andlea!!!” ou “Yes! Yes! Yes!” nunca serão esquecidos por mim.

Nos tempos livres tínhamos sempre a praia com a vista incrível do lago e montanhas para descontrairmos mas também visitamos algumas vilas próximas, fomos ao mercado, a um festival de arte, pedimos boleia para a cidade mais próxima, vimos estrelas cadentes e nadamos ao luar… Foram realmente estes momentos que fizeram o Badagang se tornar unido! Claro que nem todos os momentos foram bons e nesses acabamos por gritar juntos e terminar com um abraço de 11 pessoas, era tão bom que depois não queríamos sair dali!

Sem dúvida esta foi uma experiência que marcou o meu verão e que marcará os próximos porque agora só penso no quão maravilhosas foram estas 2 semanas e no quanto quero realizar um novo projecto no próximo ano! Este foi apenas o começo de uma vida de voluntariado! Aconselho mesmo a todos, não tenham medo porque vale tanto mas tanto a pena este arriscar!