Ana, Ilha do Maio 🇨🇻

Existem sempre aqueles sonhos que queremos muito concretizar, mas por falta de oportunidade ou coragem vamos adiando dia a dia. E este ano, foi o ano de concretizar o sonho do voluntariado. Quando decidi ir até ao Maio durante duas semanas não fazia ideia da experiência que traria comigo. Sabia que ia em voluntariado para um lugar totalmente desconhecido e para uma casa de pessoas que nem os nomes sabia. Mas o que ninguém me contou é que aquela casa no Morro, na qual cheguei a medo, se iria tornar tão depressa minha casa e a minha família.

Foram apenas duas semanas, mas foram duas semanas de muitas memórias e muitas partilhas. Foi sem dúvida uma das melhores experiências da minha vida, a todos os níveis. Tive oportunidade de colaborar com a fundação num projeto que acredito e revejo muitas potencialidades, o desenvolvimento do turismo rural sustentável na ilha. Para além deste projeto colaborei em outras atividades relacionadas com preservação e monotorização das aves e tartarugas. Sabia que já me tinha rendido à aquela pequena ilha de Cabo Verde o que ainda não tinha percebido é que me iria apaixonar por aquelas tartarugas e por todo o seu comportamento. É completamente fascinante estar numa praia de Cabo Verde, em noites que as estrelas preenchem o céu, rodeada de pessoas maravilhosas com quem rimos e partilhamos bons momentos, e ainda assistir a toda aquela magia da natureza. Ver a tartaruga a sair do mar, fazer o ninho, camuflar e voltar à água com toda a sua calma e perfeição. É tão bonito!!!

Para além de todas estas experiências resta-me falar das pessoas da ilha, da envolvência e de todo o carinho que recebemos. Rapidamente fazem com que sejamos mais um membro daquela comunidade. É indescritível a forma como somos recebidos. Se me perguntarem o que foi mais difícil nestas duas semanas, não tenho dúvidas da resposta: FAZER AS MALAS PARA VOLTAR! <3