A experiência da Alexandra em Cabo Verde

Há muito que desejava fazer voluntariado mas nunca consegui a altura certa… ou porque não havia tempo, ou disponibilidade mental ou monetária, ou porque tudo o que encontrava era por longa duração, ou para áreas muito específicas,… Havia sempre uma razão qualquer nem que fosse o “medo” do; e senão for capaz?, e se chego lá e não me ambiento?,… Para ser honesta, todas essas questões estiveram na minha cabeça até ao momento em que encontrei o Para Onde, li a experiência da Inês e vi todas as propostas de voluntariado e percebi… afinal é simples!

e9723a3d-e4ec-4904-9253-ed0f71f3b3d2

A partir daí, foi pesar fatores como língua, preços de viagens, tipo de projetos,… escolher; e esperar que me recebessem. Foi um processo muito rápido, quando dei por mim já estava no Tarrafal, bem no meio da organização de acolhimento em Cabo Verde.

912b139b-c475-420f-93f6-c9d426e10d18

Ajudar as crianças nos trabalhos de casa e a estudar, participar nos jogos didáticos, brincadeiras ou simplesmente conversar, trocar experiências e satisfazer curiosidades de ambos os lados… Ver sorrisos genuínos, gestos de carinho e partilha de quem tem pouco, mas que dá sempre para mais um; Conhecer um país, cultura e povo diferente…

b3f9b7eb-980d-42d3-b074-5da28458bc7e

08656950-3a19-47e8-a644-a96da6eef255

1714d380-c951-41c9-b901-736e6f12f04d

Foi um mês intenso, cheio de novas experiências e emoções. Foi um mês em que senti que dei muito pouco para o imenso que recebi! E por isso só tenho a agradecer às crianças e monitores da organização que me acolheu, às pessoas que conheci no Tarrafal e ao “Para Onde?” que me deu a direção certa. OBRIGADA!!

99a3d7eb-0eae-4004-86f8-6dfae2616e87

3911099e-22a5-4f94-aa30-2190449c5089